Voltar à página anterior

Chafariz Nobre

Ponte de Lima 41º 46’ 7,7” N | 8º 35’ 3,4” W
  • Chafariz Nobre do Largo de Camões Chafariz Nobre do Largo de Camões
  • Chafariz Nobre do Largo de Camões Chafariz Nobre do Largo de Camões
  • Chafariz Nobre do Largo de Camões Chafariz Nobre do Largo de Camões
  • Chafariz Nobre do Largo de Camões Chafariz Nobre do Largo de Camões
  • Fonte de S.João Fonte de S.João
  • Fonte da Picota Fonte da Picota
  • Fonte Dr. António Magalhães Fonte Dr. António Magalhães
  • Fonte dos Terceiros Fonte dos Terceiros
Ponte de Lima

Construído no atual Largo Dr. António Magalhães, em 1603, junto a uma das principais portas de entrada na muralha da vila, foi transferido para o Largo de Camões em 1929. O seu risco renascentista e execução são correntemente atribuídos ao famoso Mestre limiano João Lopes, o Moço.

Para financiar a sua construção e a canalização da água de Merim, foi lançada uma finta sobre o sal e o azeite comercializados nesta Vila.

Por ser tão importante a água potável, uma vez que na vila só existia uma fonte e não raras vezes a população se queixava, foi colocada junto ao chafariz uma inscrição num bloco granítico, onde se lêem as coimas aos que o sujassem. Se o prevaricador fosse apanhado, a primeira vez passava 3 dias na cadeia, se repetisse o feito a pena era em dobro. A inscrição acompanhou o chafariz para o Largo de Camões.



Chafariz Nobre do Largo de Camões - 41º 46' 6,8'' N | 8º 35' 3,6'' W

Fonte da Lapa - 41º 45' 57,0'' N | 8º 35' 0,2'' W

Fonte da Picota - 41º 46' 2,9'' N | 8º 35' 5,6'' W

Fonte de Neptuno - 41º 46' 12,7'' N | 8º 34' 56,3'' W

Fonte de São João - 41º 46' 8,9'' N | 8º 35' 0,8'' W

Fonte da Vila - 41º 46' 3,4'' N | 8º 34' 59,5'' W

Fonte do Largo Dr. António Magalhães - 41º 45' 58,8'' N | 8º 35' 3,7'' W

Fonte do Pinheiro - 41º 45' 50,6'' N | 8º 35' 1,6'' W

Fonte dos Terceiros - 41º 45' 54,9'' N | 8º 35' 14,9'' W



Descrição
Construído no atual Largo Dr. António Magalhães, em 1603, junto a uma das principais portas de entrada na muralha da vila, foi transferido para o Largo de Camões em 1929. O seu risco renascentista e execução são correntemente atribuídos ao famoso Mestre limiano João Lopes, o Moço.

Para financiar a sua construção e a canalização da água de Merim, foi lançada uma finta sobre o sal e o azeite comercializados nesta Vila.

Por ser tão importante a água potável, uma vez que na vila só existia uma fonte e não raras vezes a população se queixava, foi colocada junto ao chafariz uma inscrição num bloco granítico, onde se lêem as coimas aos que o sujassem. Se o prevaricador fosse apanhado, a primeira vez passava 3 dias na cadeia, se repetisse o feito a pena era em dobro. A inscrição acompanhou o chafariz para o Largo de Camões.
Contactos
Chafariz Nobre do Largo de Camões - 41º 46' 6,8'' N | 8º 35' 3,6'' W

Fonte da Lapa - 41º 45' 57,0'' N | 8º 35' 0,2'' W

Fonte da Picota - 41º 46' 2,9'' N | 8º 35' 5,6'' W

Fonte de Neptuno - 41º 46' 12,7'' N | 8º 34' 56,3'' W

Fonte de São João - 41º 46' 8,9'' N | 8º 35' 0,8'' W

Fonte da Vila - 41º 46' 3,4'' N | 8º 34' 59,5'' W

Fonte do Largo Dr. António Magalhães - 41º 45' 58,8'' N | 8º 35' 3,7'' W

Fonte do Pinheiro - 41º 45' 50,6'' N | 8º 35' 1,6'' W

Fonte dos Terceiros - 41º 45' 54,9'' N | 8º 35' 14,9'' W
Visite Ponte de Lima
Visite Ponte de Lima
© 2019
PortoNorte